A Sorte

a-sorte

Volúvel e inconstante é esse enigma que desafia o homem. Através dos tempos vem o filho de Deus tentando conquistar essa mulher caprichosa que é a Sorte.
Para muitos ela não passa de superstição. Para outros tantos, porém, ela é quase uma personificação, beneficiando aqueles que nela acreditam e que fazem o possível para atraí-la e seduzi-la, manipulando, por vezes, energias poderosas com o intuito único de alcançá-la e aprisioná-la.
A todos, no entanto, ela caprichosamente induz apenas à sua vontade.
Muitos argumentam que caminham pelas sendas do bem e da justiça na vã esperança de que ela os beneficie com seu condão.
Quando os percalços da vida resolvem invadir os menos privilegiados, estes protestam e choram pela ausência da inconstante.
Dir-se-ia que uma atitude positiva, amparada por decisões firmes e constantes, abriria espaço para a chegada dela, mudando radicalmente o destino do otimista.
Outros afiançam que se proteger e ter cautela são as atitudes mais corretas diante de sua ausência.
De qualquer forma é sempre uma chance nova de mudar radicalmente a vida, passando a gozar todos os sonhos almejados, confiar na existência dessa dengosa.
No momento em que se acredita, experimenta-se o êxito de senti-la.
Porém é necessário ter em conta que existe na moeda a outra face.
Caso se perca o lado da moeda é preciso imediatamente resgatá-la e defendê-la, pois a contrário há de se encontrar o outro lado que é o seu algoz: o azar.

Passageiros do amor

 

passageiros-do-amor

Você, despreocupado da vida, teclava seu computador. Suas palavras como pássaros chegavam até mim, molhando o seio ressequido de carinho. Roteiro estranho de uma história vivida a sós. Você sequer sabia que assim eu lhe via. Continuava a ninar meus sonhos. Pareceu-me confortável seguir em frente. A estrada macia suavizava meu solo vazio.

O deserto agora ficava lá fora. O calor do dia não prejudicava o contato quase magnético de meu olhar no seu. Parecia formarmos um só organismo, incapaz de interferir ou incomodar o outro, sentindo juntos as mesmas intempéries do tempo. Mas no seu colo, arrisco dizer que nunca estive. Jamais senti os seus afagos. Mas eu os vislumbro em meus anseios, neste mundo paralelo.

Viajávamos e parecia sermos os únicos naquele embalo. Não havia música apenas meu coração cantava feliz. Sentia-me colada em você… Imaginei aquele amor que você reservou somente pra mim. E mesmo convencida no inacreditável, algo no vento sussurrou palavras de amor.

O meu devaneio foi rompido com raios de sol a bater em meus olhos. Só consegui decifrar quando voltei meus olhos para a tela mágica e lá estava você. Entre nós apenas aquela tela. A vida ficou seca e pedregosa. Avistei um lago. Aquela água mais parecia um pedacinho de firmamento posto à sorte na minha imensidão de pedra e pó.

Procurei às pressas na mochila uma máquina fotográfica a tempo de capturar já terminando aquele pedaço de paisagem… Não disparei. Pareceu-me artificial demais registrar aquele lugar. Certos paraísos não merecem a simplificação de uma foto.

A água se foi. Voltou o deserto e seu rosto refletido no vidro. O amado amando. De alguma forma aquilo me preenchia. Essa essência sua transcende a tela. Por quê? Minha indagação trouxe a resposta: somos passageiros do amor.

A Sorte

quando-a-sorte-lhe-sorrir

 

          Volúvel e inconstante é esse enigma que desafia o homem. Através dos tempos vem o filho de Deus tentando conquistar essa mulher caprichosa que é a Sorte.

          Para muitos ela não passa de superstição. Para outros tantos, porém, ela é quase uma personificação, beneficiando aqueles que nela acreditam e que fazem o possível para atraí-la e seduzi-la, manipulando, por vezes, energias poderosas com o intuito único de alcançá-la e aprisioná-la.

          A todos, no entanto, ela caprichosamente induz apenas à sua vontade.

          Muitos argumentam que caminham pelas sendas do bem e da justiça na vã esperança de que ela os beneficie com seu condão.

          Quando os percalços da vida resolvem invadir os menos privilegiados, estes protestam e choram pela ausência da inconstante.

          Dir-se-ia que uma atitude positiva, amparada por decisões firmes e constantes, abriria espaço para a chegada dela, mudando radicalmente o destino do otimista.

          Outros afiançam que se proteger e ter cautela são as atitudes mais corretas diante de sua ausência.

          De qualquer forma é sempre uma chance nova de mudar radicalmente a vida, passando a gozar todos os sonhos almejados, confiar na existência dessa dengosa.

          No momento em que se acredita, experimenta-se o êxito de senti-la.

          Porém é necessário ter em conta que existe na moeda a outra face.

          Caso se perca o lado da moeda é preciso imediatamente resgatá-la e defendê-la, pois a contrário há de se encontrar o outro lado que é o seu algoz: o azar.

 

Todos os meus livros podem ser encontrados na Amazon.com.br. Você pode comprá-los no formato e-book e lê-los no computador, tablet, celular ou no seu kindle (se o possuir). Se preferir impresso, entre em contato com livrariaHQZ@gmail.com