Como mudar um país através da educação

A educação pode mudar o rumo de um país

 

Somente a educação pode formar a personalidade de um povo, posto que fará o desenvolvimento de cada indivíduo de uma nação.  O saber desenvolve o intelecto e cria nas pessoas um horizonte enorme de capacidades. É através da educação de uma pessoa integrada nas atividades escolares, que ele se socializa, se liberta, se comunica e se orienta. E, óbvio, não é somente na escola que adquirimos educação: diversos ramos da sociedade, de uma maneira geral, podem influenciar o indivíduo nesse sentido.

Na corrida pelo conhecimento, é preciso seguir um procedimento – seja ele formal ou não. Pode-se adquirir conhecimento através de uma pesquisa básica ou aplicada. O conhecimento também pode passar de um indivíduo para outro através da comunicação. Mas, a base desse conhecimento sempre será uma família organizada e uma escola pronta para desenvolver as aptidões de cada indivíduo.

Muitos perguntam se o conhecimento pode mudar uma nação? Como ele pode fazer com que pessoas ou grupos influenciem os meios onde estão inseridos? Aqui você encontra essa resposta!

A educação é uma arma poderosa. Através dela, um cidadão se torna mais crítico, tem mais oportunidades de emprego e melhoria na sua própria qualidade de vida. A importância de aprender para si mesmo é compartilhar os conhecimentos com os outros. É através desse compartilhamento que a educação atua diretamente no desenvolvimento econômico, social e cultural de uma nação.

Escasso o conhecimento, qualquer nação desconhece os direitos de seus cidadãos, assim como o cidadão não tem noção de seus direitos e deveres para com a sua pátria.

Uma das coisas que mais demonstram esse fato é o respeito pelo meio ambiente, pelas condições adequadas de trabalho e o respeito entre empregado e empregador. Essa relação é adotada em todos os meios da sociedade. O respeito pelo outro, esteja ele em que posição estiver. Uma educação de qualidade pode fazer em primeiro plano uma luta contra a pobreza!

Quanto mais se conhece, mais oportunidades surgem no mercado de trabalho. Uma pessoa que se qualifica e se especializa tem mais possibilidades de obter um emprego do que alguém que não estudou nada. Todo o cabedal de estudo formal e aquele que o indivíduo traz de sua família é capaz de mudar seu intelecto e sua visão de mundo.

Aliás, é o que acontece em vários países: quem estuda ganha mais do que quem não é alfabetizado. Esse impacto é explícito em todos os graus de escolaridade. Pessoas que buscam educação podem sair da pobreza com mais facilidade.

Outro ponto bastante nevrálgico da qualidade da educação de um povo é a proteção ao meio ambiente. Quando os indivíduos se tornam mais conscientes sobre os impactos das nossas atividades sobre a natureza, ele ajuda a preservar o meio ambiente. A educação ensina as pessoas a decidirem sustentavelmente e satisfazem os deveres presentes sem afetar as próximas gerações. Um mundo educado corretamente sobre a natureza e seus impactos é mais sustentável.

Outro ponto bastante forte é a desigualdade social que está diretamente associada à falta de educação de qualidade, e isso se relaciona diretamente com o aumento da violência. A educação pode diminuir essa desigualdade, superar a intolerância e também ajudar a sociedade se tornar menos agressiva. Educação é fundamental para lidar com a ignorância e a lutar contra estereótipos.

A educação, ainda, permite que as pessoas tenham conhecimento de que elas têm direitos garantidos por lei e que podem exigir isso. É com a educação que aprendemos sobre os direitos humanos e nossas liberdades essenciais.

Também com ela o indivíduo pode compreender o mundo e ter em mente que ele é para qualquer ser humano. A educação torna as pessoas mais críticas e conscientes, colabora no crescimento econômico do país e promove a igualdade social.

São diversas as transformações que a educação pode causar no mundo. E, mesmo que uma pessoa não faça uma mudança global, poderá mudar o seu próprio mundo. Mudando seu mundo isso espelhará em todo o contexto social. Esse é o verdadeiro caminho para o crescimento de uma nação, como tantos exemplos já temos visto acontecer no mundo. Um exemplo típico de mudança educacional e de crescimento é o Japão. Mas não ficamos aí. Na verdade todo país que se preocupa em educar seu povo só tende a crescer.

 

A diferença entre solidariedade e caridade

caridade amor em acao

É muito comum confundirmos caridade com solidariedade social. Quando falamos em caridade, logo nos vem à mente a doação de bens materiais de uma forma individual ou coletiva.

Mas, sermos solidários não é o mesmo que sermos caridosos. A solidariedade é um estímulo, uma maneira maravilhosa de expressão do bem, para tornar o ambiente em que vivemos um local menos desigual, socialmente falando. Já a caridade, vai além… A caridade vem de dentro e, normalmente, é invisível perante os olhos da sociedade.

Às vezes não é nem perceptível para quem já a faz de maneira natural, e imperceptível também, apesar de muito trabalhosa, para aqueles que a fazem em silêncio, no árduo processo de reforma íntima.

Caridade é gentileza, é sorrir num simples bom dia, boa tarde ou boa noite, mesmo que a gente se sinta péssimo por dentro, por não querermos contagiar negativamente os outros com nossos problemas; é ficarmos quietos quando tivermos vontade de retrucar uma ofensa; é sentirmos compaixão ao invés de raiva; é não falarmos mal da vida alheia, mesmo quando a “língua coçar”, é conseguirmos fazer a fofoca morrer em nós; é elogiar ao invés de julgar ou simplesmente não falar quando não há nada bom a dizer; é ter sensibilidade; é não disseminar discórdia e sim harmonia; é não matar sonhos alheios, é enxergar o bem sempre, mesmo quando ele estiver bastante escondido; é conseguir reparar os próprios erros e perdoar os erros pelos outros cometidos.

A solidariedade modifica o ambiente exterior, tornando o mundo um lugar melhor para viver, mas não deve ser confundida com caridade, que é uma modificação do universo interior refletida em singelos gestos cotidianos, que não espera recompensas (nem divina), nem agradecimentos. Caridade é simplesmente aceitar as pessoas como elas são, é fazer prevalecer a razão quando o instinto falar alto, é carinho (“tocar o mundo do outro com respeito”), é olhar com os olhos da alma, sem interferência do próprio ego. É desde sorrir de uma piada sem graça para dar a graça, até se afastar de quem ama para libertar. Caridade não é doar o que tem, é se doar… Caridade é amar.

Seus pensamentos encontram os de outros

escrever-e-facil

Quem escreve seus pensamentos é como dar de si beijos e abraços; quem os lê não recebe alguma coisa, mas alguém.

É importante certa dose de orgulho, pois este é um ingrediente útil para a doação de quem escreve.

Existe uma dose grande de humildade para quem lê, porque este é um ingrediente importante para receber pensamentos de outrem.

O amor-próprio é necessário para aquele que coloca seus pensamentos na folha branca. Significa dignidade, estima e respeito por si mesmo e pelo próximo.

Somente um sentimento de estima e respeito faz a sintonia entre o escritor e o leitor. Mas, a honestidade nas ações e emoções, ao escrever, cria um liame de amor indissolúvel.

 O amor-próprio procura ter inteligência emocional no  controle exato de suas ações e emoções. É consciente de seu dever de doar.

Há quem diga que o amor-próprio é egoísta, individualista, uma espécie de egocentrismo. Discordo! O amor-próprio é a mais pura forma de compartilhar e trocar! É uma dádiva para o mundo como um todo! Por meio dele acessamos o verdadeiro amor ao próximo.

assinatura-sylvia-regina-pellegrino

Término dos privilégios dos políticos

Assine para exigir que políticos se aposentem pelas regras do INSS! Basta das regalias deles!

politicos-aposentadoria

Clique para assinar

Um político (seja deputado, senador, prefeito, vereador etc) foi eleito com o voto do povo para um mandato temporário. Mesmo assim, existem regras especiais de aposentadoria para eles, e muitos conseguem aposentar com 8 anos de trabalho!

Isto é um absurdo, ainda mais considerando que “ser político” não é uma profissão, não existe concurso para tal cargo. Esta pesquisa do jornal Estadão mostra que parlamentares ganham 7 vezes mais que um aposentado pelo INSS.

Está na hora de dizer BASTA! Assine e compartilhe este abaixo-assinado para fazer chegar no STF, no Ministério Público Federal, no Congresso e outras autoridades que queremos que isso acabe!

O Brasil continua em crise, e os parlamentares continuam ganhando rios de dinheiro, mesmo aposentados. Não é aceitável que políticos tenham uma Previdência dessas enquanto milhares de pessoas vivem com só um salário mínimo.

A bizarrice é tão grande que um político se aposenta em média ganhando R$ 14 mil por mês, enquanto no INSS uma pessoa comum se aposenta ganhando em média R$ 1.682 por mês.

Assine para fazer nossa voz ser ouvida! A Constituição determina que tomos todos iguais, portanto o tempo de serviço e as regras precisam ser iguais para todos. O tratamento diferente para políticos é inaceitável!

Ajude a Change.org a continuar existindo em 2017!
Contribua com apenas R$ 1/dia.

O que você quer mudar?
Faça um abaixo-assinado.