Abrir uma estrada para o futuro

A educação exige cuidadeo

Sempre achei que todo povo pode e deve trabalhar visando um futuro melhor para seu país.  Podemos nos lançar numa aventura incrível de transformação do Brasil. Ficarmos inertes e omissos diante da situação caótica da política brasileira não resolverá qualquer problema. A revolução de ideias é o melhor caminho. A sociedade precisa se engajar em pequenos grupos para auxiliar os que necessitam aprender a ler e escrever. Enquanto se preleciona a língua portuguesa, paulatinamente irá sendo inculcado no cérebro do povo simples que somente um governo honesto, educado, culto e com gestão correta poderá retirar o país do lamaçal a que foi submetido.

A par dos escândalos é preciso educar nossos filhos e netos que eles podem auxiliar com trabalhos voluntários, aclarando a mente dos menos favorecidos pela sorte. Uma sociedade consciente pode fazer sua revolução que trará inúmeros benefícios na aplicação dos votos de eleitores menos preparados e esclarecidos.

As principais mudanças dizem respeito à maneira como as pessoas devem comunicar-se entre si. Unir forças é preciso. Uma ideia de progresso sem máculas pode tornar-se realidade com esse trabalho de esperança e não de dissensões.

Essa revolução consciente trará benefícios e solucionará muitos dos problemas construídos e pregados por políticos com ideias obsoletas.

Óbvio que não existem mapas confiáveis nesses territórios inexplorados, mas podemos aprender lições importantes com o processo de criação e desenvolvimento de uma nova geração de cidadãos, que movimentará o Brasil daqui por diante.

Decididamente não estamos na crista da onda. Porém, esquecendo os problemas e olhando para as soluções, que a cada mente criativa do brasileiro saberá trazer para essa revolução de ideias poderemos, sim, mudar nosso país.

Alguns esperam, outros temem opinar e muitos se omitem completamente. A revolução da comunicação está só no começo. Uma pequena ideia que pode germinar e ramificar por muitas outras formas de mudanças da consciência do brasileiro desavisado. Todos temos que tomar decisões cruciais, e é preciso um círculo cada vez maior de cidadãos de bem para que os benefícios sejam auferidos. Não podemos deixar o debate apenas nas mãos de políticos que somente visam seu interesse pessoal, nem podemos deixar apenas nas mãos da Justiça uma mudança radical. O povo é responsável pelo seu país.

Outra ideia bastante interessante e trarão resultados importantes é a criação de bibliotecas dentro das cidades. Lugares como bares, restaurantes, casas comerciais podem contribuir para dar um pequeno espaço para livros doados e colocados ali à leitura e depois a devolução para as demais pessoas que se interessem pela leitura. Isso é um caminho que alarga os horizontes dos cérebros humanos.

Se isso puder ser feito a formação política de todos os brasileiros servirá de mola mestra para a mudança radical da consciência que a desonestidade não tem mais espaço no nosso Brasil.

Vento de Agosto

Tardinha. O sol desaparecia de mansinho. Resquícios dourados pintavam o céu. Joana apoiou-se no gradil da sacada. Os pensamentos voavam à busca de lembranças.

Era como se ouvisse o vento assobiar novamente. Fora uma longa caminhada até o campo de golfe, naquele dia. Sentia-se agradavelmente envolvida por aquele sentimento, que imaginara não mais tomar conhecimento. O restaurante apareceu às suas vistas, protegido ao norte por imensas árvores, já envelhecidas e frondosas. Elas já estavam lá desde antes de construírem o condomínio.

A luz do sol naquela tarde cintilava por dentre as folhagens. Pensou no encontro que tivera com ele, ali mesmo alguns dias atrás. Ainda estava envolta em suas doces lembranças, quando o céu tomou uma cor cinza e tudo escureceu. O vento começou a enfurecer-se, de uma hora para outra. O redemoinho começou a se formar lá pelo lado sul e veio se avolumando, enquanto corria lambendo e levantando casas como se fossem brinquedos.

Viu-se dentro do restaurante. Pessoas em pânico corriam e gritavam para que se jogasse no chão. Sentiu a mão, que mais parecia uma tenaz, arrastá-la para dentro do banheiro. Lá já havia algumas pessoas. Os rostos demonstravam o pavor. O som aumentou ensurdecedor e eles imaginaram o rugido de um animal pré-histórico.

Aqueles minutos que permaneceram dentro do banheiro do restaurante pareceram séculos.

Quando tudo cessou, sentiu seus membros relaxarem e a dor contida tomou conta de seu ser. Saíram lentamente, um a um. A paisagem que viram em seguida foi desoladora. Havia um rastro deixado por onde passara o tufão. Casas inteiras ao lado de destroços, ferragens retorcidas e cimento, espalhando poeira pelo ar. A sensação é de que havia ocorrido uma guerra.

As pessoas saíam de suas casas num movimento letárgico, quase em câmara lenta, após o terror de, talvez, cinco minutos apenas.

Quando a realidade se fez presente em cada um, foram à busca de entes queridos, que podiam estar sob escombros.

Muitos perderam pessoas amadas. Pedaços de edificações foram encontrados longe.

― Ainda pensando naquilo, Joana?

Assustou-se com a pergunta. Estava tão abstraída em seus pensamentos que não percebera a chegada dele.

―Vez ou outra, ainda. ¾ Disse, à guisa de resposta.

―Os Gomes nos convidaram para uma reunião, hoje à noite.

Ela sorriu de maneira abstrata. ¾ Sim, sim, eu me lembro. Por volta das oito, não?

― Muito gentil da parte deles, você não concorda?

― Sabe se é alguma celebração?

― Ao que me consta vão recepcionar uma amiga vinda da Europa. Parece ser uma artista plástica. Não sei ao certo.

Estava pouco entusiasmada. Franco franziu as sobrancelhas.

― Oh, querida, você deveria se animar. Afinal estamos enfim nos relacionando com as pessoas.

― Sinceramente? Eu não tenho a mínima vontade de ir, porém você está coberto de razão. Precisamos nos relacionar. Quero esquecer…

― Você vai esquecer!

― Você já esqueceu?

― Perdi a filha… e a mulher…Mesmo estando para nos separar, não desejava isso à Elizabete. E Amanda… não vou esquecer nunca! Mas, precisamos continuar a viver, minha querida, e ser convidado para uma recepção nesta cidade é um fato a comemorar. Depois há a firma. Tenho que conviver com as pessoas, criar vínculos que me levem ao relacionamento comercial.

― Tem razão, querido. Vou me preparar.

*

De meias, entrou na cozinha, sentindo o odor delicioso do pernil assado, com um toque sutil de pimenta rosa.

Enquanto ele umedecia o assado, ela o observava, divertida.

Ele sempre gostara de cozinhar. Desde que se casaram, seis meses após o sucedido no condomínio. O que a divertia era que ele se paramentava todo para entrar na cozinha. Era o próprio chef du cuisine, como diriam os franceses. O chapéu enorme estava sempre extremamente engomado, como exigia de Rose, sua secretária doméstica.

― Hum, delicioso!

― Extremamente gentil de sua parte, mas precisa experimentar primeiro.

Ela sorriu e saiu da cozinha de forma espevitada.

Tinha, na verdade, vinte e dois anos. Uma moça alta, magra, com os cabelos negros lustrosos que escorriam até o meio das costas. A pele era clara, herdada da mãe e os olhos azuis do pai. Quando o sorriso aparecia na boca bem formada e expressiva, o rosto todo se iluminava, mas quando ficava deprimida e triste, seus olhos denunciavam os sentimentos interiores que a machucavam.

― … foi ótima a conversa com Otávio Gomes de Cerqueira, ontem ― dizia, Franco, enquanto colocava o pernil sobre a mesa. ― Creio que conseguirei um sócio para a exportadora ¾ continuou a falar. Ele virou-se para Joana que se aboletara à mesa e já estava, como uma criança, espetando a carne com o garfo.

― Psst! Modos!

Ela deu uma risada cristalina e os ombros subiram e desceram duas vezes.

― Quem era ao telefone? ― Perguntou Franco.

― Ah, Adelaide nos chamando para um jantar na sexta. Eu já confirmei, importa-se?

― Absolutamente… ― E a olhou admirado, mas feliz. A nuvem escura havia passado.

Após o almoço, com todos os pratos lavados e a cozinha arrumada, os dois seguiram para suas atividades. Franco deu-lhe um beijo no rosto e pegou as raquetes de tênis. Pretendia jogar com Otávio e terminar os acertos sobre a empresa e a futura sociedade. Joana vestiu o agasalho de ginástica e seguiu para o clube. Ia encontrar Adelaide, mulher de Otávio, para um jogo de vôlei. Pegou tênis, meias, shorts, camiseta e colocou-os na sacola.

Quando Joana chegou ao clube sentiu o vento. As folhas secas rodopiavam sobre o calçamento. Sentiu um arrepio percorrer-lhe a espinha. Empertigou-se e seguiu em frente. Adelaide a esperava.

Alguns metros do lago, sob a sombra de uma árvore, sentou-se próximo ao bistrô do Parque Barigui, ouvindo o silêncio da tarde. Na verdade o silêncio era o murmúrio de pequenos sons da natureza. Um peixe que pulava dentro do lago, o zumbido de uma abelha, tentando pousar sobre seus cabelos, que se esvoaçavam, ao longe um guincho de um ganso, o marulhar lento das águas mexidas pelo vento.

Olhou emocionada o papel nas mãos. Já havia lido inúmeras vezes, mas continuava a não acreditar.

As lembranças voltaram vivazes à sua mente. O irmão era seis anos mais velho que ela. As moças de Itu o cobiçavam. Era um dos partidos mais desejados da cidade. Bonito, alto, cabelos alourados do pai, olhos verdes, a pele sempre bronzeada do sol, jogava golfe como ninguém e ainda havia assumido as empresas de indústria de embalagens, após a morte do pai. A mãe era uma doce criatura que a mimava extremamente. Aquele tufão destruíra sua casa e as duas pessoas a quem mais amava, naquela época. Alguns dias antes havia encontrado Franco, que estava se separando da mulher e se envolvera com ele. Assim que ficou viúvo, também por culpa daquele tufão, casaram-se. E agora… Passou a mão sobre a barriga e uma lágrima rolou suave pela face. Agora uma vida se formava dentro dela. O passado devia enterrar seus mortos e o futuro esperar a vida.

Levantou-se lentamente do banco, pegou o carro e voltou para casa.

O vento assobiava por entre as frestas das portas envidraçadas da sacada.

― É o vento de agosto, Joana. Muita gente não gosta, mas eu gosto. Sinto saudades do tempo em que morava no campo com meu pai e minha mãe. Minha infância, enquanto corria solta e em liberdade. Agora ficamos todos presos, morando uns sobre os outros. ¾ Falou, Rose.

―Em segurança, Rose, em segurança…― Seguiu para a sala e sentou ao piano, lembrando da época em que a mãe sentava e tocava Chopin, para ela ouvir.

Os acordes tomaram conta da sala e ela sorriu feliz, imaginando uma garotinha sentada à sua frente, ouvindo-a tocar.

NOTA: Escute a música no vídeo acima. Você vai amar! Meu presente de Natal para você.

Capítulo 1 do livro A CERTEZA

para-capa

A vida tinha tomado um rumo bem diverso de anos atrás. Após o falecimento da mãe ele voltou a se separar da segunda mulher. Havia ganhado um dinheiro na loteria na primeira vez que resolveu quebrar sua indiferença com aquele jogo. Aplicou todo o dinheiro de forma bastante diversificada e, com as ótimas dicas da Corretora, recebia um ganho como jamais imaginara ter com um emprego. Pagou todas as suas dívidas e resolveu a pensão das duas filhas. Ele agora podia vê-las a cada quinze dias, nos finais de semana. Mas, algo lhe faltava. Resolveu voltar a estudar. Fez faculdade de Administração, seguiu com o mestrado e já caminhava para seu término.

Estava saindo da Universidade quando a viu. O tempo só fizera bem a ela. Loura, alta, esguia, não envelhecera, apenas a expressão era de uma mulher madura e segura de si. Ficou estupefato ao sentir o estômago apertar como da primeira vez.

Ela seguiu seu caminho ser perceber a presença dele, parado, olhando-a, sem conseguir dar um passo sequer. O coração disparado. Começou a rir de si mesmo sem acreditar que naquela altura da vida ainda era capaz de sentir emoção tão intensa. Aliás, pensar em emoção fez Thales lembrar de um tempo em que embotou esse lado. Foi o tempo em que mais cometeu enganos na vida. Racionalizar tudo não foi o melhor caminho para uma vida saudável. Tinha muitas certezas na época. Perdeu muito tempo de alegria e espontaneidade tentando planificar tudo.

Voltou a caminhar em direção a seu apartamento. Quando abriu a porta sentiu o vazio lá dentro. Não atinava o porquê da sensação. A figura dela disparou em sua mente e ele teve a sensação que fora ela quem despertara nele o que sentia no momento.

Ouviu o telefone fixo tocar. Normalmente não gostava de atender, mas pensou num cliente inoportuno, já velho conhecido e bastante mão aberta para os negócios. Levantou o fone

— Alô.

— Uau! – comentou Jonathas -. Vi o seu descontrole quando Elizabeth passou do outro lado da rua. Thales imaginou-o levantando uma sobrancelha, tique especial do colega quando descobria alguma coisa interessante e que pudesse apelar em algum momento de negociação.  — Enquanto ela andava para subir na calçada você a devorava com o olhar.

— Hum. — grunhiu Thales.

— Não adianta negar meu caro, você se desconcertou de um jeito que não dava para não notar. Pode me chamar de abelhudo não me importa. Agora acho que você devia procurar por ela. Vou lhe dar uma chance. Ela está hospedada no Sheraton. Vai passar uns tempos aqui no Brasil e depois volta para Nova York. Sabia que agora ela é a presidente da empresa.

— Era só isso?

— Cara, você continua o mesmo. Não mudou nadinha. Nem ajuda você aceita.

— Exatamente.

Escrever um romance é trabalho duro!  Nós apenas facilitamos.  Muito mais fácil.

Como escrever um romance usando o método do floco de neve

Randy IngermansonEste é Randy Ingermanson,  conhecido em todo o mundo como “o Snowflake Guy” em homenagem ao seu “Método Snowflake” para projetar e analisar romances. Ele escreveu seis romances premiados. Antes disso, havia escrito alguns que nunca foram publicados. Cada história foi difícil de escrever. Mas os romances posteriores foram muito mais fáceis do que os anteriores.

Por quê? Porque um dia percebeu  que era mais simples projetar suas histórias e criar meus personagens ANTES DE escrever seus romances. Dessa forma, ele foi capaz de gastar mais do seu tempo escrevendo sendo criativo e menos do seu tempo escrevendo para que tudo se encaixasse em um design coeso.

Anos atrás, juntou sias idéias  em uma ferramenta organizacional que chamou de  “método do floco de neve” . Isso se tornou a página mais popular do seu site e foi visto mais de seis milhões de vezes. O método Snowflake é usado por romancistas de todo o mundo.

Se você quer saber o  que as pessoas dizem sobre o método Snowflake,  procure no  Google “Snowflake method”. Você descobrirá que algumas pessoas adoram e outras não. Isso porque as pessoas são diferentes. O que não incomoda o autor. O ponto importante é que zilhões de pessoas em todo o mundo usam o método Snowflake, incluindo vários autores publicados.

Um desafio para trabalhar duro

A má notícia  é que o método Snowflake faz você trabalhar. Não nos enganemos que escrever ficção é fácil. Se fosse, todo mundo estaria escrevendo ficção. Escrever um romance é difícil. O método Snowflake ajuda você a organizar suas ideias, mas também faz você trabalhar. Difícil.

O método Snowflake tem dez etapas  que incluem uma ideia de história de alto conceito, uma estrutura de três atos, uma análise detalhada de caracteres, uma sinopse, uma lista de cenas e muito mais. Isso é um pensamento sério que você precisa fazer.

A boa notícia  é que ele criou um software para tornar simples e divertido trabalhar os primeiros nove passos do método Snowflake (tudo menos o passo 10, escrever o primeiro rascunho – você já pode fazer isso em qualquer processador de texto). Ele tem mais de vinte e cinco anos de experiência em escrever software. Então decidiu escrever um programa, o  Snowflake Pro , para fazer as etapas de trabalhar através do método Snowflake uma alegria – pelo menos para para ele.

Adicionou em quatro exemplos  de análises de Snowflake de livros e filmes populares. (Foi com a ajuda da filha Carolyn, graduada em Literatura Inglesa, que o ajudou a escrever esses quatro exemplos de flocos de neve.) Eles estão todos incluídos no  Snowflake Pro :

  • Ido com o vento
  • Harry Potter e a Pedra Filosofal
  • piratas do Caribe
  • Orgulho e Preconceito

Vendo o Grande Quadro

Floco de neve Pro 1 - resumo da história de um parágrafo

Muitos escritores têm dificuldade em  explicar sua história para agentes ou editores. O método Snowflake pede que você defina um resumo de uma frase e, em seguida, expanda-o para uma estrutura de três atos. Isso leva algum pensamento. Isso força você a realmente entender sua própria história.

Entendendo seus personagens

Vários dos passos  do método Snowflake pedem que você defina seus personagens e então os conheça – muito bem. Isso paga dividendos enormes na sua escrita de ficção. Quanto melhor você entender seus personagens, mais real eles parecerão para seus leitores.

Snowflake Pro 2 - Entendendo seus personagens

Alinhando suas cenas

Um romance moderno tem dezenas de cenas  – muitas vezes mais de cem. Gerenciar todas essas cenas é difícil, porque elas cobrem centenas de páginas em seu manuscrito. Uma lista de cenas permite que você veja todas as suas cenas de relance. O Snowflake Pro  facilita a criação e edição da sua lista de cenas. Você pode importar suas cenas diretamente de sua sinopse, editar cenas, movê-las, adicionar novas cenas, excluir cenas que não estão funcionando e estimar a contagem de páginas da sua história. E muito mais.

Snowflake Pro 3 - Sequência de cenas

Criando uma proposta – ao toque de um botão!

Muitos editores e agentes  insistem em receber uma proposta de livro para o seu romance. Não há nada complicado sobre uma proposta. Ele mostra uma parceria de negócios sugerida entre você e um possível editor, explicando os riscos e as recompensas da publicação do seu romance.

As boas notícias?  Muitas das peças de uma proposta de livro são, na verdade, etapas do método Snowflake.

Então ele adicionou um passo bônus no Snowflake Pro . Isso não faz parte do método Snowflake; é apenas um pouco de guloseima como um recurso extra porque  tinha todas as informações necessárias:

Ao pressionar um botão , o  Snowflake Pro  escreverá o esqueleto de uma proposta de livro para o seu romance. Se você fizer todos os seis primeiros passos do método Snowflake, todos eles irão direto para os lugares corretos em sua proposta. Se você pular etapas, tudo bem – o  Snowflake Pro  deixará espaços vazios em sua proposta, com instruções sobre como preenchê-las.

O Snowflake Pro  também escreverá em espaços vazios para coisas como sua análise de mercado e plano de marketing que NÃO fazem parte do método Snowflake – junto com algumas sugestões inteligentes sobre como preencher essas partes essenciais.

Basta pressionar esse botão  e o  Snowflake Pro  salvará o esqueleto de sua proposta como um arquivo RTF no disco rígido – pronto para ser carregado em qualquer processador de texto, onde você poderá preencher todos os detalhes. (Arquivos RTF são universais. Todos os processadores de texto podem lê-los.)

Se você já tentou escrever uma proposta de livro , sabe que a parte mais difícil é apenas começar. O que deve entrar e o que não deve? Como você formata isso? Como você sabe se está fazendo certo?

Não fique paralisado pela incerteza . Randy Ingermanson ama escrever propostas. Já escreveu inúmeras. Um dos seus ex-editores ensina “como escrever uma proposta” em conferências o tempo todo, usando uma proposta antiga que ele vendeu para ele anos atrás.

Com o uso do o Snowflake Pro dá para começar a usar  sua proposta. E, em seguida, use todas as dicas práticas que o  Snowflake Pro  incorpora na proposta para guiá-lo no polimento de alto brilho.

Proposta Pro Snowflake

Sua licença

Ao comprar o Snowflake Pro , você compra uma licença para executá-lo em até cinco de suas próprias máquinas pessoais. Se você tem um laptop e um computador de mesa e possui outros computadores que seu cônjuge e seus filhos usam, você está licenciado para instalar e executar o  Snowflake Pro  em todos eles. Sim com certeza. Essa é uma licença muito permissiva. Em troca disso, é importante que você não pirateie o  Snowflake Pro . Todos temos que fazer a coisa certa; por isso agradece antecipadamente por você fazer a coisa certa por ele.

O Snowflake Pro será executado no seu computador?

Randy Ingermanson escreveru o Snowflake Pro  em uma linguagem chamada Java, que roda em qualquer laptop moderno ou computador desktop executando Mac, Windows ou Linux. Se o seu computador era novo nos últimos seis anos, você deve ser capaz de baixar o  Snowflake Pro , instalá-lo e executá-lo. O trabalho de Randy Ingermanson foi duro com sua equipe de testadores para tornar todo o processo o mais simples e livre de erros possível. Veja os Requisitos do Sistema abaixo. Se não conseguir que o  Snowflake Pro  funcione em pelo menos um dos seus computadores, ELE LHE DEVOLVE SEU DINHEIRO

Requisitos do sistema:  15 MB de espaço no disco rígido. Java versão 1.5 ou posterior.

(Java vem instalado na maioria dos computadores modernos. Se não estiver pré-instalado em sua máquina, você pode obter Java GRÁTIS no site oficial do Java aqui .) Aqui estão os sistemas em que a equipe de testadores testou o  Snowflake Pro  :

  • No Windows XP ,  é bom.
  • No Windows Vista ,  Windows 7 ,  Windows 8 ou Windows 10 ,  é extremamente bom.
  • Em um Mac , ( Tiger ,  Leopard ,  Snow Leopard ,  Leão ,  Leão da montanha , Mavericks ,  Yosemite, El Capitan, Sierra, ou High Sierra ),  está excepcionalmente bom.
  • No Linux ,  você tem alguma distribuição recente com o Java instalado,  é bom.

Por favor, note que tablets e telefones não são laptops ou computadores desktop. Snowflake Pro não executa em um iPad, iPod, iPhone, Blackberry ou dispositivo Android. 

Upgrades gratuitos para a vida. Sem brincadeiras!

Quando você compra o Snowflake Pro , está comprando todas as atualizações futuras que Randy Ingermanson já fez. Como parte do processo de compra, você  fornecerá seu endereço de e-mail. Seu sistema enviará um e-mail sempre que houver um upgrade do  Snowflake Pro .Isso é para  corrigir um bug, adicionar um novo exemplo do Snowflake,  adicionar um novo recurso para tornar o  Snowflake Pro  ainda mais poderoso ou mais fácil de usar, você receberá a atualização. Quase instantaneamente pela internet. Livre.

Randy Ingermanson é romancista  e pretende usar o  Snowflake Pro  em todos os romances que  escrever a partir de agora. Então você pode apostar suas tulipas que ele vai fazer isso funcionar tão bem quanto possível, tão facilmente quanto possível, e tão confiável quanto possível. Ele é um perfeccionista e quer que seu software funcione perfeitamente. Tem muito mais controle sobre o  Snowflake Pro  do que sobre aquele processador de texto miserável e desajeitado que comprou de You-Know-Who.

É por isso que o Snowflake Pro  está disponível apenas como um download eletrônico. Ele não envia um CD para você. Você faz o download do  Snowflake Pro  pela internet. Dessa forma, sempre que houver uma nova atualização, o sistema enviará um e-mail solicitando que você baixe a versão mais recente. Esse tipo de política de atualização não seria econômico se ele distribuísse o  Snowflake Pro  em CDs. 

Aqui está o que você ganha no Snowflake Pro

Aqui estão algumas das principais coisas que  você obtém no  Snowflake Pro :

  • Uma forma fácil  de trabalhar em cada uma das principais etapas do método Snowflake:
    • Seu enredo de uma frase . Esta é a sua ferramenta de vendas mais poderosa para vender o seu livro.
    • Seu resumo de um parágrafo . Se alguém perguntar sobre sua “estrutura de três atos”, é isso em um parágrafo. Memorize antes de falar com editores ou agentes.
    • Sua informação chave do personagem . As histórias de cada personagem, ambição, epifania e outras informações cruciais. Se você não entende seus personagens, é porque você ainda não fez as perguntas certas.
    • Uma sinopse de uma página . Crescer isso naturalmente a partir do seu resumo de um parágrafo. Esta é a sua linha de base para criar a sinopse que você precisará para seu editor algum dia.
    • Esboços de personagens . Estes são ótimos para inserir diretamente em uma proposta, porque os editores adoram ficção voltada para personagens.
    • Uma sinopse de quatro páginas . Expanda isso a partir da sua sinopse de uma página. Com isso em mãos, você saberá todas as curvas importantes da sua história.
    • Bíblias de personagens . É aqui que você salva todos os detalhes incômodos de que precisa para escrever caracteres tridimensionais. Cuide dos detalhes e seus personagens cuidarão de você.
    • Uma lista de cenas . Você pode conseguir isso rolando importando uma de suas sinopses, então ajuste-a para ter uma visão geral de cada cena em seu romance. Isso torna a reorganização de cenas em seu romance uma brisa. Inclui uma projeção de contagem de palavras para que você possa estimar quanto tempo seu romance será.
    • Detalhes da cena . Qualquer informação perdida que você precisa para cada cena vai aqui. Não perca essa informação! Coloque onde você não pode perder.
  • Ajuda de áudio em cada etapa do floco de neve . Se você é um aprendiz de áudio, isso ajudará a bloqueá-lo na sua memória.
  • Ajuda de texto em cada etapa do floco de neve . Se você precisa ver as palavras, esta é para você.
  • Quatro exemplos de flocos de neve para mostrar como é feito:
    • Ido com o vento
    • Harry Potter e a Pedra Filosofal
    • piratas do Caribe
    • Orgulho e Preconceito
  • Um botão para criar o esqueleto da sua proposta . Clique nesse botão e o  Snowflake Pro  gravará um arquivo RTF que contém o núcleo de uma proposta. Não fique paralisado por dúvidas sobre como escrever uma proposta.
  • A sabedoria acumulada  de mais de 20 anos de um romancista publicado o gabarita a dizer que seu método e seu programa são eficazes. Já publicou seis romances. Ganhou cerca de uma dúzia de prêmios. O método Snowflake contém o que ele acredito ser essencial para escrever ficção. E

O problema?

Não existe tradução para o Português até o momento. Precisamos aguardar que Randy Ingermanson faça a tradução do programa para que os brasileiros possam adquiri-lo.

A gentileza versus a depressão

gentileza-cura-depressao

Acredito que a maioria já ouviu sobre a necessidade de ser gentil. Quando a gentileza impera num ambiente é como se houvesse uma brisa fresca e leve no ar. A gentileza gera amabilidade, elegância e acima de tudo educação. Uma pessoa gentil demonstra cortesia, é educada e atenciosa. Aquele que é gentil deixa um toque inesquecível. Ele passa pela vida do outro, toca-o com delicadeza e marca-o onde ninguém mais pode ver. Por tudo isso é uma pessoa cativante.

Se você pensar um pouco em gentileza logo assomarão rostos em sua mente. Somente essas imagens já trazem no interior de cada um a emanação da bondade e da calma.

Sei que atualmente, poucas pessoas temos o prazer de conhecer, que emanam gentileza no olhar, nos gestos, no sorriso e nas palavras. No entanto, quando as encontramos, somos seduzidos por ela. A calma, alegria e bondade que dela advém parecem encher o ambiente. Você, eu, qualquer pessoa imagina que aquele ser não tem problemas, e se tem, está num nível evoluído que a faz tratar a todos com amor e humildade. Outro dia parei para pensar e me perguntei: O que torna essa pessoa tão especial e querida por todos? O que a mantém nesse estado de equilíbrio com o ambiente? Será que ela é tão gentil consigo mesma como é com as outras pessoas e com a vida?

Todos nós passamos por situações complicadas e difíceis. Somos ludibriados, destratados e, muitas vezes, até mal amados. Sofremos com a falta de dinheiro, temos preocupações com a nossa saúde e com a saúde de todos que amamos, sofremos por injustiças e corrupções diárias, muitas vezes nos sentimos feridos e com dor, enfim, são tantos os motivos que poderiam justificar a falta de gentileza…

Entretanto, o que difere o ser gentil é que ele não coloca seus problemas no centro do mundo e nem acha que todos têm que parar com suas vidas porque ele não está bem. O verdadeiro entendedor da gentileza sabe ser suave com os outros, percebe que somos interligados por algo maior que nossos próprios interesses, que estamos num mesmo mundo e não há nada fora dele. E, assim, segue seu dia sempre agradecido e não obstante a gentileza que oferece ele recebe de volta.

Descobri, depois de muito sofrer, que a gentileza pode transformar uma vida, uma relação, um relacionamento profissional: basta praticar. A gentileza no ambiente de trabalho é o grande trunfo dos profissionais que estão prontos para fazer a diferença no mercado. Gandhi dizia que “a gentileza não diminui com o uso. Ela retorna multiplicada.” Gentileza é um gesto de cuidado com o outro, com a vida. Geralmente, a pessoa que é gentil com as outras acaba se destacando. E, mais, mesmo sendo depressiva é importante lutar contra essa prostração: indo ao médico, tomando seus remédios e mudando os pensamentos negativos que giram em nossas cabeças. Na verdade a gentileza pode ajudar na nossa cura. O importante é praticar, praticar e praticar. Ninguém pode desistir de si mesmo. Esse é um caminho que ilumina o poço em que nos encontramos e toda luz nos faz ir ao seu encontro, portanto não desanime. Você, eu, todos nós  podemos transformar nossas vidas praticando a gentileza. A vida ficará mais colorida. Acredite!

Honestidade Contestada

capa-de-Honestidade-Contestada

Com base num fato real escrevi esta crônica. Acho que é preciso criticar o sistema, exercer nosso direito/dever de cidadão.
Era Auditor Fiscal da Receita Federal e funcionário público federal. Esta é uma história longa e recheada de altos e baixos, como de resto é a vida, por isso idealizei escrever um livro sobre o tema.

Tinha 38 anos quando aconteceu. Passados dezoito anos do ato de posse, abriram um processo administrativo contra ele. No final isentaram-no de culpa. Porém, um grupo de insatisfeitos dentro da Receita Federal não quis ficar quieto, havia muita inveja e vingança no ar. O brilhantismo dele o alçara a Chefe de Seção. Isso acirrara os ânimos. O processo administrativo foi encaminhado pelo Procurador-Chefe da Fazenda Nacional ao Ministério Público Federal. Dado início ao processo judicial na Justiça Federal levou 6 meses sendo lido, estudado, esmiuçado, por uma jovem juíza federal de primeiro grau, estudiosa e conhecedora das filigranas do processo. O processo caminhava regular, enquanto a titular da Vara Federal estava em exercício. Nas férias da titular um jovem juiz a substituiu. Foi procurado por um dos Procuradores da Fazenda Nacional e decidiu pela condenação. Não se provou fraude ou recebimento de propina, mas sabidamente a manipulação e evasão de divisas.

O condenado havia contratado um advogado de fama nacional na área do Direito Administrativo, pagou regiamente seus polpudos honorários adiantado, mas foi o estagiário do escritório a defendê-lo. Um jovem e brilhante advogado, sem grande cabedal de experiência. Recém-formado na faculdade de Direito. Entrou com todos os recursos, seguindo seus cursos, e não houve procedimento, mecanismo, estatuto cautelar, tecnicidade, brecha ou pai-nosso que restasse em seu arsenal de medidas e procedimentos a obstar o prosseguimento do processo e ao final inocentá-lo.

Esta é uma história ficcional, baseada em um caso real, porém adaptada por respeito as partes. No entanto, um inocente (como no caso em tela) por vezes é envolvido numa teia de corrupção e sequer sabe encontrar o fio da meada para poder compor uma defesa, enquanto os verdadeiros cabeças se escondem sob seus mantos negros da impunidade, auxiliados por julgadores corruptos ou omissos, que sequer estudam o processo e esmiuçam o caso, para detetar a verdade dos fatos, e o processo segue um curso de uma total teratologia do Direito, chegando às barras do Supremo Tribunal Federal que, no mínimo, devia considerar nulo o processo desde o seu início. Contudo, isso não acontece, enquanto grandes corruptos são soltos ou protegidos por estratégias esdrúxulas criadas por seus advogados e aceitas pela Justiça.

Deus tem lugar no universo científico de hoje?

universo

Por mais de 30 anos, ocorreu uma das mais emocionantes revoluções científicas do nosso tempo, a revolução na cosmologia. Na década de 1970, o grande mistério cosmológico foi o Big Bang. A partir dele tudo se criou. Daí vem os questionamentos: foi simétrico em todas as direções, por que o universo em expansão hoje não é apenas uma sopa maior de partículas? Em vez disso, lindas galáxias elípticas e espirais estão espalhadas, mas não aleatoriamente; Elas posicionam-se ao longo de filamentos invisíveis, como brilhantes confetes jogados em linhas de cola. Onde se cruzam vários filamentos grandes, formaram-se grandes aglomerados de galáxias. Mas por quê? O que aconteceu com a sopa primordial? De onde veio toda essa estrutura?

Onde fica Deus nessa parafernália científica? Tornou-se um mero símbolo? Um termo, apenas? Se nós desistirmos dele, mesmo inconscientemente, como algo que não pode existir no nosso universo, vamos banir a ideia de Deus da nossa realidade e jogar fora toda possibilidade de incorporar uma potente metáfora espiritual em um panorama verdadeiramente coerente. Mas se levarmos a sério os confiáveis  e inestimáveis conhecimentos científicos e históricos da nossa época, nós podemos redefinir um Deus de uma forma radicalmente nova e poderosa que expande o nosso pensamento e poderia ajudar a motivar e unir-nos em uma era perigosa que a humanidade está adentrando. Seremos capazes de entender esse Deus como a Mente Viva do Universo?

Um dos criadores da teoria da matéria escura fria é Joel R. Primack, que responde a essas perguntas, dizendo-nos que tudo o que os astrônomos veem, incluindo todas as estrelas, planetas e brilhantes nuvens em nossa galáxia e todas as galáxias distantes de gás, é menos da metade de 1% do conteúdo do universo. O universo acaba por ser quase inteiramente feito de duas presenças dinâmicas, invisíveis, desconhecidas e inimagináveis até o século XX: Matéria escura (matéria invisível que não é feita de átomos ou as partes de átomos) e de energia escura (a energia, causando a aceleração da expansão do Universo). Elas estiveram em competição uma com a outra por bilhões de anos, com a gravidade da matéria escura puxando matéria comum (atômica, bariônica) e a energia escura arremessando espaços separados, em um jogo de empurra e puxa. Sua interação cósmica com a matéria comum vem tecendo as galáxias visíveis e assim, criadas as possibilidades para a evolução dos planetas e a vida.

Ao longo das décadas, à medida que dados estavam surgindo, confirmando essa história com telescópios e satélites, surgia uma pergunta: o que significa para nós seres humanos não estarmos vivendo no universo que pensávamos estar vivendo?

Hoje, os astrônomos em todo o mundo aceitam a teoria dupla escura como a história moderna do universo, mas eles não responderam a esta questão.

Deus tem de fazer parte de nossa compreensão do universo?

Não. Mas quando cientistas disseram ao público que eles têm de escolher entre Deus e a ciência, a maioria das pessoas escolheram Deus como a Mente Viva que continua a criar o Universo. A negação dos cientistas criou hostilidade para com a ciência e a incoerência mental profundamente perigosa na sociedade moderna que promove depressão e conflito. Enquanto isso, muitos daqueles que escolhem ciência encontram-se sem nenhuma forma de pensar que pode dar-lhes acesso ao seu próprio potencial espiritual. O que precisamos é um panorama coerente que é totalmente consistente e até mesmo inspirado. Deixemos que a ciência e aos cientistas, que encontrem uma maneira poderosa de repensar Deus que traz benefícios humanos e sociais sem denominá-lo de metáfora e até mesmo de misticismo.