TRABALHE SUA ESPIRITUALIDADE.

Yoga Meditation Concept, Woman Silhouette Meditating In Healthy

Para além do entendimento intelectual precisamos trabalhar nossa espiritualidade.

Nós, pessoas da chamada era digital, inegavelmente somos herdeiros de uma série de conquistas tecnológicas, temos acompanhado, por outro lado, um empobrecimento do repertório das coisas místicas com as quais a humanidade manteve contato há milênios. É pena! Temos desdenhado de uma das mais vibrantes possibilidades de aprofundamento do nosso olhar para tudo aquilo que se mostra misterioso.

Somos gente, em geral, afastada das perspectivas espirituais da existência, que nos parecem, muito mais do que pareciam para nossos antepassados, enigmas insondáveis. Se algo caracteriza os últimos duzentos anos, trata-se de uma perda significativa da força do Arquiteto do Universo em nossas experiências terrenas.

Trocamos a capacidade de transcendência pelo progresso material. Iluminamos cada um dos mais recônditos cantinhos da vida, não deixamos nenhum lugarzinho esquecido, todos foram inundados pela luz da razão que, onipresente, incomoda, cansa, ofusca e chega a desesperar. Não é estranho que algumas das sensibilidades mais puras levantem a voz e indiquem o problema: igualamos demais nossos compromissos, abrimos mão de enorme parcela de liberdade e capacidade de experimentar diferenças.

Às vezes é difícil viver sem escapatória, sem fuga, sempre sob holofotes que não descansam, embaixo de um sol eternamente a pino, num mundo que perdeu todo o seu sombreado poético ou sensível, absolutamente controlado e explicado por especialistas radiantes que, para nossa surpresa (e deles mesmos), muitas vezes, não especializam nada – cometem enganos, se equivocam, nos atrapalham, geram confusão.

Nesse mundo atapetado por inteiro de conhecimentos indiscutíveis, como sensitiva que sou, percebo que precisamos respeitar novamente as duas moradas do homem: a mente e o coração (alma). Olhando ao redor compreendo um dos desafios de nossa época, dar vazão às coisas do espírito, equilibrar funções emocionais, ordenar os afetos.

Nosso tempo avançou longe demais pela trilha da mente. Vivemos no exagero das opções de vida voltadas para a razão. Agora é tempo de valorizar o oposto complementar, os movimentos do coração, parte indispensável se nossa proposta for contemplar, compreender e reverenciar o equilíbrio pleno da nossa existência no planeta Terra.

Para além do entendimento intelectual, precisamos permitir que o abraço do mundo nos envolva, suave, reconfortante, alcançando nossa alma. Ultrapassar as coisas do juízo para permitir que verdadeira sabedoria se instale, fonte cristalina para as mais elevadas aspirações do ser humano. Este é o caminho da evolução em busca do que realmente somos, além de um pedaço de carne, que nasce, vive e morre.

Raciocinemos um pouco mais demoradamente sobre a lei de Lavoisier: “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. Ora, vamos nos transformar em quê, se nem ao menos experienciamos o melhor de nós, enquanto no caminho do aprendizado?

livros06gif
Ilumine seu cérebro lendo, lendo muito e vários estilos

A ciência comprovou recentemente o que parecia óbvio: literatura faz bem para o cérebro! Nos Estados Unidos, um grupo de teste foi convidado a ler um capítulo do romance Mansfield Park, de Jane Austen, dentro de uma máquina de ressonância magnética, enquanto pesquisadores da universidade de Stanford analisavam os resultados neurológicos. Para o experimento, era preciso ler o capítulo de duas formas distintas: primeiramente, uma leitura descompromissada; depois, uma leitura para análise crítica da obra. A conclusão do estudo apontou que a leitura de livros pode ser um exercício valioso para o cérebro, já que quando lemos, o sangue flui para diversas áreas associadas à concentração e, no caso de uma leitura mais crítica, também para áreas menos ativas do cérebro. Logo, o estudo concluiu que a forma de leitura afeta o cérebro e através dela podemos treiná-lo para ser cada vez melhor em atividades que exigem compreensão e concentração. Logo, o estudo conclui que a forma de leitura afeta o cérebro e pode indicar formas de treiná-lo para ser cada vez melhor em atividades que exigem compreensão e concentração.

Estudos semelhantes para avaliar os benefícios da leitura com máquinas de ressonância magnética já haviam sido realizados antes na Europa. Em 2010, o neurocientista Stanislas Dehaene, diretor da Unidade de Neuroimagiologia Cognitiva do Inserm-CEA, na França, usou exames de ressonância magnética para avaliar o cérebro de adultos alfabetizados e analfabetos. Os cientistas descobriram, então, que os cérebros dos adultos que podiam ler eram mais ativos, ainda que, em contrapartida, perdessem parte de sua memória visual, possuindo menos habilidade no reconhecimento facial.

Não existe nada mais espetacular para treinar o cérebro do que a leitura. Aumenta a capacidade de armazenar informações, aprimora a memória, aumenta a compreensão e a associação… Além de funcionar como um verdadeiro catálogo de maneiras de viver, de encarar os desafios, amplia o vocabulário, a compreensão de mundo. Já imaginou a diferença que faz no cenário atual, feito de relacionamentos e marketing pessoal?

Interessados nos ganhos que um livro pode trazer para nossas vidas buscamos os 10 benefícios da leitura. Sinta-se à vontade para acrescentar outros benefícios, comentando este post.

  1. A leitura estimula a memória, expandindo a capacidade de nossa mente.
  2. A leitura é combustível inesgotável para a imaginação.
  3. A leitura nos dá as palavras, instrumento para expressar nossos sentimentos.
  4. A leitura nos aproxima da compreensão de mundo e da autocompreensão.
  5. Ao ler, nos deparamos com aquilo que pensamos: com nossas crenças.
5 maneiras de turbinar seu cérebro neste fim de semana, segundo a ciência

5 maneiras de turbinar seu cérebro neste fim de semana, segundo a ciência

cafe-da-manha-natural-da-terra

Seu cérebro é um bem precioso. Ou seja, vale a pena se dedicar bastante ao cuidar dele. Mas uma boa notícia: fazer isso não exige muito esforço. A ciência dita que o descanso é fundamental para o funcionamento do órgão. Isto é, nada de passar o fim de semana inteiro tentando recuperar o atraso de atividades do trabalho. O resultado pode ser a exaustão do seu cérebro e a piora do seu rendimento durante a semana.

Em artigo para a Fast Company, Molly Reynolds, a vice-presidente da consultoria Trepoint, criou um itinerário baseado na ciência para manter seu cérebro saudável. “Tomei a liberdade de planejar o seu sábado para você”, escreveu. Confira:

Durma. Alguns empreendedores pensam em dormir como algo completamente “improdutivo”. Mas não é. De acordo com um estudo de Harvard, a falta de sono pode afetar negativamente a sua memória e humor. O que significa que você vai se lembrar das coisas erradas e ser bem desagradável com os colegas. Neste sábado, desligue o despertador e durma até acordar naturalmente. E em seguida…

Faça um café da manhã repleto de proteína. Ela fornece os aminoácidos que compõem os neurotransmissores do nosso cérebro. De acordo com a Memory Foundation, quando não ingerimos uma quantidade razoável de proteína, o cérebro não produz neurotransmissores suficientes, como a serotonina — um dos principais reguladores do nosso humor. Se você quer ser o profissional mais eficaz possível durante a semana, invista na refeição.

Divirta-se praticando exercícios. “Uma vez abastecido, coloque roupas confortáveis e faça seu esporte favorito, vá à academia ou dê um passeio de bicicleta”, diz Molly. Segundo um estudo recente, pessoas mais ativas fisicamente têm um volume cerebral superior. A executiva aconselha experimentar dança ou atividades mais inusitadas, caso não goste muito de esportes.

Envolva-se em seu passatempo favorito. “Hobbies são, com certeza, uma ótima maneira de aliviar o estresse. Mas certos passatempos podem melhorar sua função cerebral de verdade. Isso inclui atividades como aprender um instrumento (que permite que o cérebro crie novas conexões), resolver quebra-cabeças (ajuda o cérebro a aprender mais rápido), e jogar videogames (melhora a cognição)”, aconselha Molly.

Tome um banho. Sim, você provavelmente já faria isso. Mas não basta ficar limpo. Já se perguntou por que tem tantas ideias no chuveiro? A ciência explica que você é mais propenso a ter um avanço criativo quando está fazendo algo que não exige pensar muito. Seu cérebro basicamente muda para o piloto automático e libera sua mente para vagar. Só cuidado com o desperdício de água.