mulher a beira marLIBERDADE

 

Liberdade, liberdade

tão procurada, decantada.

Onde te escondes insana?

Mãe dos desesperados.

Liberdade, liberdade

tão tolhida, esmagada.

Em que espaços andarás

tão deturpadas estás.

Liberdade, liberdade

tão esperada, chamada.

Não fujas das gentes,

que te clamam em prantos.

Liberdade, liberdade

tão poetizada, desgastada.

Abram o peito seres viventes

A liberdade está enterrada.

Busquem no íntimo, seres carentes

No âmago escondido, covarde.

 

Apenas um passe!

— Aí está —

Liberdade!