Uma história de amor

Casal-se-beijando

Eu e você, não somos tão complicados. Não é difícil perceber. Mas, quantas vezes desistimos de nosso amor, somente porque ele nos parecia difícil, ou pensando ser impossível transpor barreiras tão fáceis de ultrapassar…

Quantas vezes desistimos de nós, do nosso carinho. Uma vez era eu com minha dor, por uma separação causada por você. Outra vez era você, vendo fantasmas onde nada existia. Ouvindo amigos loucos para nos separar.

Quantas vezes deixamos de lado nossos sentimentos e nos atiramos a procurar novos amores em detrimento da beleza que já havíamos encontrado em cada um de nós.

Seja porque a rotina tomou conta de nossas vidas, ou porque cansamos de regar a semente do amor, tentamos a procura de um novinho em folha.

Como se esse, com cheiro de novinho, cheio de novas possibilidades, novos papos, nova paixão, fosse a coisa mais importante de nossas vidas.

Esquecemo-nos de nossos olhares, nossa cumplicidade, nossa história de vida?  Daquele amor que tanto lutamos para acontecer para sempre. Com quem nos identificávamos, de quem fomos cúmplices, amigos, e amantes? Preferimos desconhecidos que nos contaram histórias nem tão reais, nem tão românticas, como queriam fazer parecer. Sedutores que nos roubaram a candura e a inocência de um amor verdadeiro.

Ainda não sei por que o ser humano se cansa assim do amor antigo, criando monstros que não existem e parte para novas conquistas. Não sei se é uma questão de mostrar que se é livre, ou ainda mostrar que se é dono do próprio nariz, ou talvez resgatar uma autoconfiança que evaporou com o tempo. Quem sabe a busca da juventude, num vampirismo inócuo.

Na verdade procuramos em outras pessoas a mesma coisa que tínhamos no relacionamento anterior, talvez melhorada, mas queremos que a outra pessoa seja como foi o anterior. Chegamos a insistir para que queira sair para o mesmo barzinho, que goste das mesmas musicas que curtíamos com o velho relacionamento, escrevemos as mesmas coisas e esperamos que este novo responda da mesma maneira, com a mesma emoção e não deixamos por menos, caso não aconteça assim, logo nos desfazemos deste novo amor, pensando que a culpa é dele.

No entanto, no fundo sabemos que o que procuramos era aquilo mesmo que tínhamos, ou que está dentro de nós mesmos, que o velho amor sim é que nos entendia. Às vezes temos possibilidade de voltar e reacender a velha chama, mas isso não acontece sempre…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s